Publicado a Nov 04, 2017

Depilação Masculina – Vale a pena?

Publicado em CORPO E MENTE

Olá malta!

Hoje venho abordar um tema que para alguns é ainda considerado tabu e para outros a coisa mais normal do mundo.

A depilação masculina tem vindo a ganhar cada vez mais adeptos, no entanto, é ainda considerado algo proibido pela grande maioria por ser visto como algo “feminino”.

Pois é amiguinhos nudistas. Antes de continuar, deixem-me dizer-vos que a depilação masculina tem tudo menos de feminino. É tão feminino como comer uma sopa de caldo verde. Uns gostam, outros não. Deixem lá a homofobia de lado 😉 .

Para aqueles que estão a considerar este “manscape” uma nova aposta na sua higiene diária, posso avisar desde já que todo o processo dá trabalho. No entanto, vale bastante a pena.

Temos várias opções, pessoalmente já experimentei todas e é difícil escolher “a tal”.

Laminas De Barbear:

Práticas, baratas e indolor. São os 3 fatores principais neste método de depilação.  Uma boa aposta para uma “primeira vez” e para algumas emergências. No entanto tem vários aspetos negativos.

Dá uma comichão do car**** ! No primeiro dia tá tudo bem, o pelo foi acabadinho de cortar e sentimo-nos todos fresquinhos, especialmente se estivermos nus. A partir do 2º ou 3º dia é que a coisa piora. O pelo começa a crescer bem forte  contra a pele o que resulta numa comichão horrível, especialmente se for a primeira vez. Creme, creme e mais creme é o que vos aconselho. Ainda assim, para aqueles que tencionam depilar o corpo inteiro, o tempo que irão demorar no WC a completar esta tarefa árdua será mais que muito, costas é impossível de fazer sem ajuda.

Cera: 

O método oldschool. Quando praticado por um bom profissional, torna-se quase como um vicio. Para aqueles como eu, que têm a sorte de ter um pelo fraco e com pouco volume, irão conseguir chegar a uma intermitência de 3 meses entre cada sessão. Poderá no entanto ser um método dispendioso uma vez que cada gabinete de estética pratica o seu próprio preço. Em termos de dor, cada pessoa tem uma maneira diferente de a suportar. No gabinete que frequento o processo é todo muito natural, na conversa, com pouca tensão e nem dou por isso. No entanto, o meu pelo só cresce da cintura para baixo o que me facilita um pouco a vida Para outros poderá ser diferente. Experimentem.

Laser: 

Este é dos métodos mais recentes. Em teremos de qualidade/preço será possivelmente o mais indicado. No entanto não é prático e deixem-me que vos diga…DOI! Dói muito! Acreditem quando vos digo que dói mais que a cera. Chega ao ponto de eu pensar que as esteticistas apenas gostam de provocar a dor. Dói especialmente na parte das virilha e canelas. No meu caso, cada sessão dura cerca de 30 a 40 minutos (pernas e virilha) no entanto parece que estou lá 3 horas. O pós depilação é também pouco agradável, parece que andamos ali meio “assados” mas ao mesmo tempo não. No entanto, apesar de toda a dor, é o método mais eficaz e um investimento seguro. Reduzi o volume do meu pelo o que me permite fazer uma manutenção de 1 a 2 vezes por ano. A manutenção essa, opto pela cera pelo facto de ser mais rápido e com menos dor. O pelo volta a aparecer em força passados 5 ou 6 meses. Se a coisa crescer mais que o esperado, nada que uma sessão a laser não resolva.

Em termos de resultados, na minha opinião pessoal, vale muito a pena.

Seja qual for o tipo de corpo que tenham, os traços dele serão sempre mais interessantes sem pelo. Em termos de higiene nem se fala e para aqueles pequenos Chewbaccas acreditem, no verão vai dar um jeitão! 

Quanto ao facto de ser ou não considerado naturista. Pois bem. Quantos naturistas vemos por aí que deixaram de fazer a barba? 😉

Abraços !

 

 

Publicado a Set 25, 2017

A libertação de estar nu.

Publicado em CORPO E MENTE

 

Não gosto de impingir nada a ninguém.

No entanto, se estão a ler este artigo é porque provavelmente o titulo vos interessou.

Não tenho problemas em estar despido em frente a alguém. Na verdade, o naturismo mudou de certa maneira a forma como encaro a vida. O que para uns é considerado “tabu” para mim é coisa mais normal do mundo. Se em tempos preocupava-me com o que os outros pensam, neste momento estou-me completamente a borrifar.

Estar vivo é de certa maneira uma equação matemática com altas probabilidades de não acontecer. No entanto, cá estamos nós na nossa vidinha.

Só vivemos uma vez. Porque razão temos de passar todos os anos da nossa vida nos preocupar com o que possam pensar de nós?

Gostavas de ir a uma praia naturista? Força o que te impede? Existem milhões de pessoas que lá vão, que se despem e que não estão minimamente preocupados com o que possam pensar deles ou do corpo deles. Gostas de andar nu pela casa? Faz. Não vivas uma vida de restrições para um dia mais tarde pensares que podias ter feito isto ou aquilo. Nessa altura pode ser demasiado tarde. Isto aplica-se ao nudismo assim como a tudo na vida.

A vida é um dom. Não o desperdices. Faz aquilo que te faz sentir bem e feliz. Liberta-te.

Publicado a Jul 28, 2017

5ª Légua Nudista – A minha preparação (parte 1)

Publicado em CORPO E MENTE, EVENTOS

Pois é malta nua. Está a chegar a 5ª Légua Nudista. Este evento que vai decorrer no próximo dia 16 de Setembro, consiste em percorrer uma distancia de 5km (légua) em pelota.

Para além de um evento social onde se promove o estilo de vida naturista e a prática do exercício físico, a Légua Nudista não deixa de ser uma prova física e como qualquer prova física há que estar preparado.

Como já tenho afirmado em artigos anteriores, sou um grande adepto do exercício fisco, em particular do chamado crosstraining e como tal  decidi deixar-vos alguns dos exercícios de preparação que vou fazer e que podem, vir a ser úteis para terem uma melhor prestação na prova.

Antes de tudo, prestem atenção ao vosso corpo. Tenham em conta se podem realmente participar na prova de corrida. Em alternativa a 5ª Légua Nudista conta também com a caminhada.

A légua é na sua essência uma prova de resistência cardiovascular, como tal há que ter o motor bem oleado. O exercício em baixo pode ser praticado em qualquer lado desde que consigam correr. Vamos lá!

Para Tempo:

  • 800 metros de corrida

  • 50 burpees

  • 50 agachamentos (o mais abaixo possível)

  • 50 abdominais

  • 800 metros de corrida

Parece pouco mas acreditem, vai-vos dar alguma luta.

Volto no entanto a apelar ao facto de terem em conta a vossa preparação física. Adaptem os movimentos caso não consigam realizar algum deles. Se correr não for possível, tentem caminhar com uma passada rápida se não conseguirem fazer abdominais, façam elevações de joelhos. O importante é perceberem as vossas limitações e trabalharem nas alternativas.

Comentem e digam como correu 🙂

 

Publicado a Jul 18, 2017

O Facebook e a estupidez do costume. 

Publicado em NUTICIAS

Ora então vou passar a explicar.

Todos nós conhecemos (eu pelo menos conheço) a politica do Facebook no que diz respeito à nudez. Para os mais distraídos, a fotografia de uma mulher em Topless é pornografia e a de uma mãe a amamentar um filho é considerado blasfémia. Apesar de tudo, a malta to Facebook tem vindo a melhorar e já permitem uma coisa ou outra (tipo o cotovelo, ou um joanete). Mas não se estiquem.

Até aqui tudo bem, não acho bem, mas se quero usar o Facebook tenho que concordar com os termos de utilização. Quem não quer, não usa ou sujeita-se e vai procurar outro sítio. Porreiro.

O problema ocorre quando subitamente a equipa de publicidade manda-nos uma mensagem a dizer “Psst, ouve lá oh tu. Tenho aqui um cupão de oferta para tu gastares aí numas publicidades dessa tua página, reNUvar”. Como qualquer Tuga que se preze, se à borla siga para bingo.

Como qualquer blogger, seja qual for o nicho, publicidade gratuita é sinal de mais visualizações, mais tráfego gerado que significa, mais leitores e tudo isto sem gastar um cêntimo. Estes ditos cupões do Facebook são de um valor baixo no que diz respeito a publicidade. São mais uma maneira de os administradores de páginas experimentarem a plataforma de “Ads” do Facebook para então gastarem quantias razoáveis. No entanto, existe sempre alguma coisa que se pode tirar deste tipo de ofertas.

Decidi então experimentar e decidi aproveitar um dos posts do blog para o efeito. Estruturei o post publicitado, com imagens engraçadas e sempre com o cuidado de não infringir as regras do Sr. Facebook. Mando a publicação para análise e fico todo contente à espera do resultado.

Estava eu sentadinho no sofá quando recebo a reposta:

 

Aos olhos do Facebook, estou a gerir uma página de serviços um tanto e quanto duvidosos onde até há web-cams envolvidas. Não sabia. Se calhar até estou a gerar algum lucro com a coisa e ainda não repararei. Vocês querem ver? Então não é que ao fim destes anos todos de Blog (4) o Facebook diz-me que sou detentor de uma página de javardiçe? Ele há coisas….

E porque acontece isto? Reposta é simples, o Sr. Facebook é retardado ou vai na volta, é um daqueles mirones da Bela Vista que ficam doidos ao ver um mamilo. De qualquer das maneiras, porque raio me oferecem um cupão de publicidade se não o posso usar?

“Toma lá aqui 1000 pacotes de farinha! Epá, esta farinha é daquela que não se pode usar em padarias, desculpa lá qualquer coisinha”

Faz sentido não faz? Não.

Quando vai esta gente começar a depurar os contéudos decentemente e perceber de uma vez por todas que Naturismo é uma coisa e as outras coisas são isso mesmo, outras coisas?

Ora fica lá com a porcaria dos cupões que eu cá me arranjo.

Publicado a Jul 11, 2017

As selfies, os hashtags e os pilinhos.

Publicado em CORPO E MENTE

Toda a gente gosta de selfies.

Eu gosto de selfies. Não costumo fazer muitas, mas gosto. Não, também não sou nenhum detentor nem defensor dos paus de selfies. Ainda cegam uma pessoa com tal armamento.

Claro, todos nós já tiramos uma selfie ou outra com tudo ao léu. Eu já. Quando a ocasião é a mais propícia, porque não? É giro, e dá-me conteúdo aqui para o blog e tudo.

E para que são chamadas as selfies para aqui? Bem, a verdade não são as selfies em si mas conteúdo delas no que diz respeito à nudez e ao nudismo. Para ser o mais simples possível. Malta, tirar uma foto aos vossos pilinhos ou pipis não é ser nudista. Dificilmente será uma selfie e acima de tudo, na maioria das ocasiões, é parvo.

Vá, pesquisem. Façam uma busca pelas redes sociais (Twitter, Tumblr etc.…) e usem o hashtag #nudismo ou #naturismo. O que encontraram?  Selfies com pilinhos e pipis. É nudismo? É naturismo? Não. É parvo!

Nada contra fotos do próprio pilinho. Cada um fotografa aquilo que quer só não lhe chamem naturismo. Chamem-lhe qualquer coisa como, sei lá, #eueoaprumadinho ou #amigas4life. Dêm asas à vossa imaginação.

Bora lá malta. Chega de desrespeitar o estilo de vida nudista/naturista e os valores que ele defende e especialmente, fazer do naturismo algo que ele não é, nunca foi nem será.

E aqui entre nós ver um pilinho na vossa foto de perfil com o nome “Zé Nudista” é só parvo.

Tirem as vossas fotos nas alturas propícias, como o fazem quando estão vestidos. Afinal de contas, não passam o dia a tirar fotos à berguilha das calças.

Vão ver que não custa.

Divirtam-se!

 

 

Publicado a Jul 10, 2017

Sempre sem roupa? As 3 coisas a não fazer nú.

Publicado em CORPO E MENTE
Comentários Deixa um comentário

Olá amiguinhos nus.

Estava eu a passear pela casa no meu traje do costume (sem traje), quando comecei a pensar cá para mim a sorte e o conforto que nos é disponibilizado pelo simples facto de podermos estar nus em casa. No entanto, pensei logo que nem sempre é aconselhável andar ao léu pela casa e em certas ocasiões até poderemos por em risco as nossas partes mais sensíveis.

Por essa razão, decidi presentear-vos com o Top 3 das coisas a não fazer sem roupa.

 

Top 3 das coisas a não fazer sem roupa:

  • Estrelar ovos – Vão-se arriscar a estrelar um ovo sem roupa? Corajosos. Ponham um avental e a coisa resolve-se, mas, no entanto, está no primeiro lugar deste Top 3. O facto de existir algum tipo de óleo a saltar-nos para as partes intimas é assustador como também é perigoso. De facto, qualquer tipo de confeção culinária deveria ser feito com algum equipamento de segurança. Não se aventurem.

 

  • Passar a ferro – Feito por muitas mulheres e vários homens, esta tarefa caseira completamente comum passa a ser uma autentica carnificina quando se pratica a nu. Especialmente para aquelas tábuas mais baixinhas esta não é uma tarefa aconselhável de se fazer quando se está nu.

 

  • Fazer pequenas reparações com Super Cola 3 – Parece parvo e é parvo mas no entanto, é daquelas coisas que fazemos muitas vezes sem qualquer receio. Um bocado de Super Cola 3 nas mãos resolve-se facilmente com alguma água quente e um bom diluente. Já pensaram fazer o mesmo lá em baixo? Não há cera depilatória mais forte, nem dor.

 

Parece brincadeira, mas a verdade é que existe um tempo para tudo.

Para além de nos sentirmos confortáveis é preciso termos noção da segurança e a verdade é que em certas ocasiões a roupa oferece-nos isso. 

Pratiquem o nudismo em segurança 🙂

Publicado a Jun 23, 2017

Como ficar atraente sem roupa

Publicado em NUTICIAS

Como muitos de vocês sabem (e alguns talvez não), sou um amante do Fitness. Acredito piamente no desenvolvimento da capacidade física humana e nos benefícios inerentes.

Seja em ambiente de competição, seja puramente por diversão o exercício é fixe e recomenda-se.

Não tenho um corpo de top-model, mas orgulho-me bastante daquele que tenho. É por isso que hoje vou trazer a solução definitiva para ficarem espectacularmente atraentes quando se encontram sem roupa (também aplicável para quem está vestido).

Um pré-aviso. É um exercício extremamente difícil e terá que ser praticado vezes e vezes sem conta, mas, no entanto, os benefícios são mais que muitos e garanto, muita gente irá invejar-te quando o dominares.

Pois bem, vamos repartir o exercício em 3 simples passos:

  1. Tira a roupa e numa posição vertical coloca-te em frente a um espelho (preferencialmente de corpo inteiro);
  2. Mantendo a posição vertical, olha de frente para o espelho e analisa a tua postura atual. Dos pés à ponta do cabelo analisem todos os pormenores e fixem todos os contornos do vosso corpo;
  3. Aceita-te;

Simples? Nem por isso.

A auto-aceitação é por vezes o passo mais difícil na nossa vida. Ser alto, baixo, gordo ou magro, aceitar o nosso corpo por aquilo que ele é torna-se por vezes difícil e uma das principais razões para banirmos a nudez da nossa vida, sendo ela o estado mais natural que nos possamos encontrar.

Esquece as capas de revista. Os corpos que nelas se encontram foram construídos para vender e não passam meramente de um objecto igualmente supérfluo a um par de sapatos ou um telemóvel topo de gama. Foram feitos para gerar dinheiro e fazer-te acreditar que aquele, é o corpo ideal quando isso está totalmente longe da verdade.

Considero que o exercício em cima deve ser praticado desde cedo. Quebrar os estigmas e os “clichés” é um passo importante no nosso desenvolvimento físico e intelectual. Não deixes que te digam o contrário. Cada corpo é bonito da sua maneira e o teu também o é.  Aceita-o

Scroll to top