Época Balnear 2017 – O primeiro dia, o Surf e os mirones.

Finalmente.

Após um inverno incrivelmente estupido no que diz respeito em termos de pluviosidade e temperaturas baixas, eis que na semana passada finalmente consegui a proeza de apanhar sol, ar puro, bronzear a pele e acima de tudo, não me constipar.

As previsões meteorológicas não eram as mais animadoras, no entanto, enfrentei os previstos 25ºC de máxima e fiz-me à estrada. Bute lá para a Costa de Caparica (reparem que usei o “de” e não o “da”, pormenores)

No que diz respeito às praias da Costa gosto de me pôr a caminho o mais cedo possível. Acho incrivelmente desanimador estar numa fila de transito debaixo do Aqueduto Das Águas Livres sem qualquer razão aparente.

No que diz respeito a praias naturistas, a da Bela Vista é a minha eleição. Os acessos são relativamente fáceis, a praia tem um areal extenso e até se consegue tomar uns banhos (quando todos os planetas estão alinhados e a água está a temperaturas mais ou menos aceitáveis). Quando cheguei fiz a rotina habitual. Um cafezinho na esplanada com vista mar e toca de ir para o areal.

Para minha grande surpresa, as temperaturas estavam bastante agradáveis e o vento era pouco, o que facilitou bastante o resto do dia. No entanto, tive outras surpresas não tão agradáveis. Para minha surpresa, apareceu mais um estabelecimento dedicado aos praticantes de Surf. Neste caso o mesmo serve para aluguer de pranchas. Nada contra os praticantes da modalidade, acho que o desporto é saudável e recomenda-se, no entanto, não consigo deixar de reparar que cada estabelecimento novo que abre, a tendência é para colocarem os mamarrachos das lojas para o lado naturista. Não convém chatear os senhores das espreguiçadeiras, não é? Ainda para mais, um surfista que se preze tem uma prancha ou pede aos pais pelos anos.

Não pude também deixar de reparar na ausência da placa que indica o inicio da zona naturista. Todos os anos esta desaparece, se calhar os senhores das espreguiçadeiras andam a fazer coleção. Será?

No entanto, tudo isso passa ao lado, nós naturistas, sabemos muito bem onde começa e acaba a zona para se andar ao léu e se formos um bocadinho mais para lá até vem o Sr. Nadador Salvador informar para irmos um bocadinho mais para a esquerda, não vá os senhores das espreguiçadeiras ficarem ofendidos com a nossa nudez.

O que me deixa realmente chateado, é o facto constantemente ocuparem a zona naturista, não se sendo naturista. Não entendam isto do modo errado, as pessoas são uma coisa porreira, no entanto, abancarem a 5 metros de distância ficando só de calção zito de banho, huummm… é suspeito.

Detesto ser portador de más notícias meus amigos, mas esta gente é uma espécie rara que dificilmente será extinta. São os chamados Mirones. Mais uma vez, nada contra, querem olhar, be my guest, é sinal que está tudo no sítio, no entanto já ganhavam juízo não acham? Ali, estão pessoas sozinhas, casais e famílias e a zona “têxtil” tem cerca de 260 metros de areal para vocês estarem mais que à vontade. Sabem o que mais tinha 260 metros?  O Titanic. E mesmo quando se estava a afundar, cabia lá uma data de gente.

Vá lá malta, a areia é igual do “vosso” lado e o sol também. Querem experimentar o naturismo, venham daí e ponham tudo a arejar. Agora, ficar a olhar porque sim, é só esquisito e a malta não gosta.

Boa Praia

Posted in CORPO E MENTE and tagged , , , .

reNUvar

Deixar uma resposta