Ao léu num tanque de privação sensorial – Eu fiz e recomendo!

Uma das dificuldades dos naturistas, é encontrar actividades de inverno onde o nudismo seja permitido. Sim, existem as praias, mas para além de me sujeitar a apanhar uma valente carrraspana, o bronze de Dezembro não é nada de especial.

No entanto, existem algumas gemas escondidas por este país que vão ao encontro do interesse naturista.

A minha mais recente descoberta (vá,não é bem recente porque até já tinha experimentado) inclui estar de papo para o ar, fechado numa cápsula com uma quantidade considerável de água onde a luz é inexistente, o sonho de qualquer claustrofóbico.

Por mais que isto possa parecer estranho, (por momentos, eu próprio pensei que a qualquer momento iriam enviar-me dentro da cápsula numa encomenda da FedEx) esta actividade é bastante benéfica, tanto a nível físico como psicológico.

Chama-se flutuação. E é isso, flutua-se. Por mais simples que possa parecer, a flutuação é uma técnica de relaxamento em grande ascensão e que tem apresentado resultados bastante positivos.

O processo inicia-se com a ida ao flutuário onde cápsulas de flutuação estarão disponiveis. No seu interior, existe uma mistura de 30cm(+-) de água com quantidades astronómicas de sal Epsom. O resultado é simples ficamos a flutuar e nunca (eu tentei) vamos ao fundo.

Cada sessão dura entre 40 a 60 minutos e equivale a qualquer coisa como 4 a 6 horas de sono (segundo dizem).

Para se tirar o máximo partido de cada flutuação, recomenda-se que a cápsula se encontre fechada (há a opção de a manter aberta)  com as luzes e som ambiente completamente desligados. Para alegria de todos os nudistas, o uso de roupa de banho não é recomendado.

Já experimentei técnicas de  relaxamento através de massagens tradicionais, osteopatia e até medicina tradicional chinesa mas posso dizer que esta foi a experiência mais relaxante que tive. Como disse acima, esta não foi a primeira vez e penso que a cada sessão que passa, nós ficamos a conhecer-nos cada vez melhor a aprender a relaxar mais profundamente (hoje adormeci durante 20 min em pelota dentro de água, estranho).

A privação sensorial é qualquer coisa de espectacular. Ao inicio, damos por nós a pensar em 1001 coisas mas ao fim de 15 minutos, a nossa mente fica completamente vazia e conseguimos realmente relaxar. A nível físico, posso dizer que de ambas as vezes que fui ao flutuário, fiquei completamente esgotado o que me ajuda em termos de recuperação física (faço desporto).

O único senão é o preço. As sessões de flutuação ainda não são das mais económicas mas em contrapartida existem várias promoções ao longo do ano que deixa tudo mais em conta.

É uma das actividades em nu que se pode fazer durante o ano inteiro mas que acima de tudo oferece cerca de 1 hora de relaxamento total dificilmente igualável.

Recomendo!

 

Posted in CORPO E MENTE.

David N

Sou o criador do blog reNUvar.

Encarando a nudez como forma de liberdade e de igualdade entre todos, criei o reNUvar como forma de dar a conhecer uma realidade diferente, livre de tabus e em comunhão com a Natureza.

2 Comments

  1. Boas. Onde fez? Foi em Lisboa? Eu tenho pensado em fazer, mas só encontro um sítio em Portugal. Queria perceber se há mais opções.

    • Olá Salvador.

      Um dos melhores sítios é sem duvida o FloatIn que já conta com 3 espaços em Lisboa (Rato, Saldanha e Belém). Uma rápida pesquisa no Google e encontrará o site 🙂 .

      Cumprimentos.

Deixar uma resposta